Skip to content

Revista de imprensa

April 15, 2014

Há mais sexismo nas universidades do que em outras áreas em Portugal”, Público – Maria do Mar Pereira, por Maria João Lopes

[…]

No doutoramento que fez na London School of Economics, escolheu ir para as universidades portuguesas observar como são encaradas as questões de género. O que encontrou?
Em todas as universidades portuguesas, não há uma excepção, existe um discurso oficial e outro nos corredores. Mesmo que, no discurso oficial, se diga que estas áreas são muito importantes, nos corredores, nas reuniões, nas tomadas de decisão, o que se diz é que são umas mulheres ou uns homens homossexuais a fazer uns estudos que não interessam. Há uma coexistência de um discurso oficial que mudou muito nos últimos anos, de abertura e apreço pelo conhecimento, com uma vida informal, não oficial de corredor, de um grande sexismo, homofobia, fechamento e marginalização de uma série de áreas. Por um lado, parece que a situação está melhor, mas ao mesmo tempo está pior, porque torna-se mais difícil chamar a atenção para esse sexismo e esse conservadorismo. Está escondido, não há tantas provas de que, de facto, existe. Um livro que no estrangeiro é reconhecido como o melhor livro, que faz o maior contributo no mundo, em todas as áreas, em Portugal é tratado como uma área menor que só interessa às mulheres.

[…]

O que quer estudar a seguir?
Interessava-me perceber que impacto tem o que está a acontecer em Portugal nas questões de género e como é que a crise afecta a forma como Portugal é visto noutros países. Em Inglaterra tenho observado que Portugal tende a aparecer nos media como uma malta preguiçosa, pouco produtiva, que merece o que lhe está a acontecer. Perceber de que forma é que a xenofobia, estereótipos, racismos antigos, que já eram inaceitáveis, acabam por reaparecer com o pretexto da crise. De repente, parece que é aceitável dizer que a Europa do Sul é inferior à do Norte. Gostaria de perceber como é que a crise acaba por permitir o renascer de desigualdades e estereótipos que já deviam ter desaparecido.

[…]

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: